TERMOGRAFIA NO ESPORTE 


AVALIAÇÃO, PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DE LESÕES 

A termografia infravermelha, é uma técnica que permite à distância e sem nenhum contato, medir e visualizar temperaturas da superfície com precisão. É uma técnica que detecta e registra as informações das áreas quentes e frias do corpo através da dissipação do calor (energia térmica) corporal, sendo que a radiação infravermelha é dependente do volume circulatório, fluxo sanguíneo subcutâneo e da atividade metabólica muscular. Realizada através de uma câmara termográfica, a temperatura do corpo é avaliada para monitorar as assimetrias térmicas provocadas pelo treinamento. A tecnologia infravermelha identifica a inflamação muscular prévia a uma lesão, permitindo mudanças na rotina de treinamento e adaptar os exercícios em base a essa informação. 

Os olhos humanos não são sensíveis à radiação infravermelha emitida por um objeto, mas as câmeras termográficas são capazes de medir a energia com sensores infravermelhos, capaz de "ver" nestes comprimentos de onda. Isto permite-nos medir a energia radiante emitida pelos objetos e, portanto, determinar a temperatura da superfície a uma distância, em tempo real e sem contato. A radiação infravermelha é o sinal de entrada para a câmara de imagem térmica que necessita para gerar uma imagem de espectro de cores, em que cada uma das cores, de acordo com uma certa escala, significa uma temperatura diferente, de forma que a temperatura mais alta medida, aparece registrada em cor branca e a menor, na cor azul escura ou preta.

Sua aplicação baseia-se na fisiologia térmica humana e na base fisiopatológica da termorregulação cutânea. Este é um método único que identifica processos fisiológicos, metabólicos e inflamatórios, tais como relacionar a sensação de dor revelando o efeito combinado do sistema nervoso autonômico e o sistema vascular sobre a temperatura. Portanto, esta ferramenta se torna bastante útil na localização de patologias do sistema locomotor (sistema osteoarticular e sistema muscular).
 
A principal aplicação relaciona-se com a prevenção de lesões, principalmente do tipo muscular, uma vez que existe uma alta correlação entre a temperatura muscular e a dor muscular, sendo maior que isso a temperatura mais elevada. Este aumento de temperatura se deve a uma maior demanda sanguínea nas zonas musculares comprometidas, com o objetivo de promover a regeneração desta área danificada.
 
A temperatura deve ser registrada individualmente, diferenciando entre as diferentes zonas do corpo, uma vez que a temperatura normal varia dependendo da localização. Outra aplicação relacionada com a prevenção de lesões é a identificação de desequilíbrios bilaterais.
 
Acompanhamento e evolução das lesões desportivas pode ser uma outra aplicação interessante da câmara termográfica. O fato de termos informações em tempo real e de identificar como evolui a lesão de um atleta, como ele está respondendo à carga de treinamento, se ocorre uma sobrecarga ou se perde calor na área lesada, significa que podemos tomar decisões mais seguras e objetivas sobre a recuperação do atleta.
 

EXAME TERMOGRÁFICO  

O exame termográfico consiste na captura de imagens (semelhante a uma fotografia) por uma câmera capaz de varrer toda a superfície do corpo ou seus segmentos e captar a radiação infravermelha emitida, e, assim, medir remotamente diferenças de temperatura mais suaves em tecidos moles do corpo. A sensibilidade das câmaras atuais pode identificar variações de um décimo de grau Celsius da temperatura corporal. O grande valor deste exame reside no fato de que as imagens são funcionais e dinâmicas. Além disso, lembramos que é um método sem contato, não-invasivo e os resultados são em tempo real. O exame deve ser realizado em locais com ar condicionado com temperaturas estabilizadas em torno de 18,5 graus Celsius para exames vasculares e ao redor de 22 a 25 graus para os exames do aparelho locomotor e do sistema nervoso periférico e simpático.